Apresentação:

O Festival Brasil Instrumental sem dúvida se confirmou como um dos mais importantes espaços de divulgação da música instrumental brasileira. Nas suas 11 edições, 8 em Tatuí e 3 itinerantes, foram centenas de shows e workshops envolvendo os mais importantes nomes da música instrumental brasileira, bem como tornou-se um atrativo para os estudantes de música e os novos artistas de dentro e fora do país, fazendo de Tatuí e região um verdadeiro pólo de cultura. A partir da 9ª edição o Brasil Instrumental tornou-se itinerante sendo realizado com apoio da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo através do ProAC, da UNICAMP através do Instituto de Artes e Prefeituras que vem recebendo o projeto nas 3 últimas edições como de Campinas...... etc...Hoje nesse estado pandêmico propomos uma recuperação do acervo dos mais de 250 shows realizados para digitalização e construção de um Festival permanente dentro do site www.brasilinstrumental.com. Esse acervo se encontra dividido, tendo as gravações das 8 edições realizadas no Conservatório de Tatuí, do período de 2000 a 2008 guardados em CDs na sede do conservatório e das 3 edições itinerantes, 2010,2013 e 2017com a produção do festival, com a TV UNICAMP e também em várias gravações informais feitas por participantes e espectadores. Queremos organizar essa memória e disponibilizá-la gratuitamente online para o mundo.

 

Objetivos:
Digitalizar e disponibilizar para acesso gratuito dentro do site Link externo abre em uma nova guia ou janelawww.brasilinstrumental.com, os mais de 250 shows inéditos realizados no período de 2000 a 2017 das 11 edições do festival Brasil Instrumental. Além dos acervos guardados e conhecidos, como do Conservatório de Tatuí, da Ong Brasil Cultural e da Unicamp iremos, através de campanhas online, pesquisar e agrupar todas as referências existente como, imagens de vídeo e fotos, matéria de jornais e revistas, programas, depoimentos, etc., numa ampla e abrangente pesquisa. Além dos shows foram realizados, nesses anos, mais de 300 workshops, oficinas debates, palestras, bailes e jam sessions. Foram gravados 5 CDs das 5 Mostras que também serão disponibilizados no site. Segue a lista de shows:

I BRASIL INSTRUMENTAL 2000 (30 shows)

 

Banda Mantiqueira

Banda Savana

Orquestra Popular de Câmara

Toninho Ferragutti

Nelson Ayres

Trio Curupira

Nenê Quarteto

Fernando Correa

Vinicius Dorin Quinteto

Paulo Braga Quinteto

Orquestra Violões & Cia

Quebrando Galho

Paulo Flores e Cambanda

Paulo Freire

Mônica Salmaso

Banda Curare

Andre Mehmari, Celio Barros e Renato Martins

Isaias e Israel Almeida

Bakará Trio

Big Band Prata da Casa

Sete Instrumental

Teco Cardoso e Léa freire

Duo Sonâncias

Arigo Barnabé Trio

Laércio de Freitas Sexteto

Rafael dos Santos Quarteto

 

II BRASILINSTRUMENTAL 2002 (30 shows)

Hermeto Pascoal

César Camargo

Época de Ouro

Toninho Horta

Guinga

Heraldo do Monte

Trio Bonsai

Arrigo Barnabé &Paulo Braga

Léa Freire & Teco Cardoso

Hamilton de Holanda & Brasília Brasil

Pau Brasil

Banda Mantiqueira

Banda Savana

Orquestra Popular de Câmara

Toninho Ferragutti

Nelson Ayres

Trio Curupira

Nenê Trio

Fernando Correa

Vinicius Dorin

Paulo Flores e Cambanda

Paulo Freire

Andre Mehmari Trio

Rafael dos Santos Quinteto

Orquestra Violões e Cia

Moar Terra Octeto

Itiberê e Orquestra Família

Bonsai

Quebrando o Galho

Joyce

 

III BRASILINSTRUMENTAL 2003 (10 shows)

Banda de Pífanos de Caruaru

Hamilton de Holanda  & Curupira

Carlos Malta e Quarteto de Corda

Bonsai

Banda Mantiqueira

Quebrando Galho

Paulo Flores & Cambanda & Vinicius Dorin

Arranca Toco

Maurício Carrilho, Pedro Amorin e Jorginho do Pandeiro

Banda Brasil Instrumental -  Moacir Santos

 

IV BRASIL INSTRUMENTAL 2004 (21 shows)

João Donato

Mauro Senise

Paulo Russo

GilsonPeranzzeta

Grupo Uakti

Maurício Einhorn

Marcio Montarroyos

Dori Caymmi & Banda Brasil Instrumental

Yamandu Costa

Banda Jazz Sinfônica

Cambanda & Mônica Salmoso & Teco Cardoso

Grupo Armazém Abapuru

Batucada Brasil

Trio Setó

Mente Clara

 Orquestra 11 Cabeças

 Qu4tro a Zero

 Rubinho Antunes e Grupo

 Quadratura

  Edinho Pessoa

Grupo,Comboio

 

V BRASILINSTRUMENTAL 2005 (30 shows)

MANDU SARARÁ

QUEBRANDO GALHO

ZIMBO TRIO

MARCELO ONOFRE E BANDA

RUBINHO ANTUNES QUARTETO

MAOGANI

AMANAJÉ

MENTE CLARA

BANDA BRASIL INSTRUMENTAL - Tom Jobim

JAIZ IN 4

QUARTETO BRASILEIRO DE SAXOFONES

MEIRELES & COPA 5

FÁBIO LEAL E ANDRÉ MARQUES

PAULO FLORES & CAMBANDA c/ PAULO FREIRE

HÉLIO DELMIRO E GRUPO

JOÃO FRANCISCO CORREIA E GRUPO

QU4TRO X ZERO

PAULO MOURA - KXIMBLUES

RASPA DO TACHO

BALAIO DE GATO

JOVINO TRIO

MADEIRA DE VENTO

CURUPIRA

PAU BRASIL

CAÍTO MARCONDES

PAULO BRAGA E CELSO VEAGNOLI

RABO DE LAGARTIXA

TRIO COBRA CRIADA

BIG BAND SAMJAZZ

ORQUESTRA TABAJARA - SEVERINO ARAÚJO

 

VI BRASIL INSTRUMENTAL 2006 (22 shows)

EGBERTO GISMONTI

LANÇAMENTO CD 2a MOSTRA

ORQUESTRA DE SOPROS BRASILEIRA

REG. DARIO SOTELO

TRIO CORRENTE

ANDRÉ MARQUES E VINTENA BRASILEIRA

LAÉRCIO DE FREITAS

BAMBU

SAX BEM TEMPERADO

EDUARDO NAZÁRIO E GRUPO

PARTICIPAÇÃO LELO NAZÁRIO

COMBOIO

JOÃO FRANCISCO CORREIA

NOITE RADAMÉS GNATTALI

CAMBANDA E SAM JAZZ-DIREÇÃO PAULO FLORES

ORQUESTRA SINFÔNICA JOVEM

PAULO BRAGA (PIANO) - KARIN FERNANDES (PIANO)

REG. MARCELO MAGANHA

MAURÍCIO RIBEIRO

BANDA URBANA

SUJEITO A GUINCHO

TABAJARA BELO TRIO

CACIQUE JAZZ COMBO

FILÓ & ARISMAR DO ESPÍRITO SANTO

 

VII BRASIL INSTRUMENTAL 2007 (35 shows)

COQUETEL DE ABERTURA - PRÉ-LANÇAMENTO DO PROJETO "BENÊ, O FLAUTISTA"

A OBRA DO POLÊMICO E GENIAL BENEDITO LACERDA - CAIXA 1

SHOW - BENEDITO LACERDA

CHORO DAS 3

QUEBRANDO GALHO

CAMBANDA JAZZ COMBO

participação: Humberto Araújo

direção: Paulo Flores

CONVERSA RIBEIRA

QUARTETO CAFÉ

À DERIVA

MARCOS PAIVA MP6

DEMMA K

TRIO CARAPIÁ

AMANDA BONFIM

BANDA URBANA

JOÃO FRANCISCO TRIO

COMBOIO

LANÇAMENTO DO CD MENTE CLARA

HUMBERTO ARAÚJO E QUEBRANDO GALHO

SIZÃO MACHADO E BANDA

DANIEL ALCANTARA E BANDA

ITIBERÊ E OFICINA DO 7o BRASIL INSTRUMENTAL

CHICO PINHEIRO E FÁBIO TORRES

PROVETA, GUELLO E QUEBRANDO GALHO

MODERNA TRADIÇÃO

GABRIEL GROSSI E MARCO PEREIRA

ROSINHA PASSOS E PAULINHO PAULELLI

BONSAI

VINICIUS DORIN - CD "REVOADA"

NÁ OZZETTI E ANDRÉ MEHMARI

LANÇAMENTO CD - RUBINHO ANTUNES E GRUPO

MARCIO BAHIA E GRUPO

JONNHY ALF

BORGHETINHO

SINFONÉTICA

THIAGO DO ESPIRITO SANTO - CD "THIAGO"

TRIO 363

BANDA BRASIL INSTRUMENTAL - MAESTRO BRANCO

 

VIII BRASIL INSTRUMENTAL 2008 (43 shows)

5a Mostra

1o Festival de Viola Caipira

1o Festival de Banda de Coreto

COQUETEL DE ABERTURA LANÇAMENTO CD 4a MOSTRA 2007

Hamilton de Holanda Quinteto

Rafael Vernet

Írio Jr

Amanajé

Laércio de Freitas & Alessandro Penezzi

RODA DE CHORO

Banda João Camargo de Tatuí

Nó de Pinho

Coração Quiáltera

Baile Severino Araújo e Orquestra Tabajara

Banda da Universidade Estadual do Pará

André Marques

Marcelo Onofri Quinteto

Lula Galvão

Valdir Verona & Rafael Deboni

Ricardo Herz

Baile com: Toninho Ferragutti (gafieira)

Trio Macaíba (Forró)

Dr. Cipó

Ricardo Vignini

Eduardo Neves Sexteto

Paulo Freire & Ivan Vilella

Marcos Tardelli

Índio Cachoeira

Banda Brasil Instrumental "Pixinga, o arrajador"

Cléber "Carrapicho" Rangel

Orquestra a Base de Cordas de Curitiba

Trio Carapiá

Orquestra a Base de Sopros de Curitiba

Clebér Almeida Sexteto

Orquestra Mundana

Fernando Caselato

Ítalo & Renno

Hahor Gomes

Banda Municipal de Hortolândia

Cacai Nunes Quarteto

DuoFel

Baile Spokfrevo Orquestra

Banda Sinfônica de Sta Rosa do Viterbo

Spokfrevo Orquestra

Izabel Padovani & André Marques

 

IX  BRASIL INSTRUMENTAL 2010 – IA – Unicamp - Campinas  (19 shows)

 

Laércio de Freitas e Jazz Combo de Tatuí

Trio Jabur

Amanajé

Quintal Brasileiro

Cumieira

Tambaleio

Mané Silveira Convida

Choro de Prima

Vinicius Granziol Quinteto

Toninho Horta

Garimpo

Rafael de Lima Quarteto

Rubinho Antunes

João Paulo Amaral Trio

André Marques e Vintena Brasileira

Orquestra de Metais Lyra Tatuí

Marcelo Onofri Quarteto

Two Kites

Orquestra Jazz Sinfônica do Festival (Cyro Pereira)

 

X BRASIL INSTRUMENTAL 2013

1ª Fase

 

São Paulo, Ribeirão Preto, Presidente Prudente, Campos do Jordão, Ubatuba, Itapira,  (50 shows)

Arrigo Barnabé

Toninho Ferragutti

Paulo Freire

Lupa Santiago

 Benjamin Taubkin

Paulo Braga

Paulo Flores

Rodrigo Digão Bráz e Grupo

Madeiras Sonoras

Noneto de Casa

Lucas Bonetti Octeto

Duo Nascimento Vinci

Fabiano de Castro
Paulo Maia Trio
Toninho Carrasqueira Trio

Rafael Altro

Hot Jazz Club

Mocambo Groove

Erujazz

Som de Sax

Trio Bartira

Quarteto Chão da Terra

Léo Ferrarini e JP Gonçalves

Trio Três Pontos

Projeto QuatroMais

Social Jazz Club

Combo Sarará

Marcelo Louback

Rafael Clarm Qto

Mutamba

Urubatã

Duo Giovelli

Tais Naomi Qto

Mauricio Gerace Trio

Mariana Sanchez Qto

Acerta o Passo Qto de Saxofones

Código Ternário

Rafael Said Quinteto

Danilo Pizianni e Bruno Camargo

Pó de Café Qto

Tiago Santos trio

Espinho de Limoeiro

Fulô da Serra

Hot Jazz Club

Projeto Do Re Mi

Tiê Duo

Trio Ladeira

Trio Pau de Arara

Trio a Vácuo

 

2ª Fase (16 shows)

Paulo Freire Trio

Toninho Ferragutti e Neymar Dias

Arrigo Barnabé – Clara Crocodilo nova geração

Lupa Santiago e Paulo Braga

Benjamin Taubkin e Trio + 1

Paulo Flores e Jazz Combo de Tatuí – Integral Coisas Moacir Santos

Léo Ferrarini e JP Gonçalves

Espinho de Limoeiro

Mauricio Gerace

Fabiano Castro

Noneto de Casa

Código Ternário

Trio Três Pontos

Trio Macaiba

Du8o Urubatã

Paulo Flores e Cambanda Jazz Combo

 

CIRCUITO BRASIL INSTRUMENTAL 2017

1ª Fase

1ª Etapa – BOTUCATU

 

Músico convidado: João Paulo Barbosa (sax) e Cuesta Jazz Band

2ª Etapa – SANTA CRUZ DO RIO PARDO, DISTRITO DE SODRÉLIA, RIBEIRÃO CLARO, TAGUAÍ, CHAVANTES, FARTURA, TIMBURI E OURINHOS (SEDE)

Músico convidado: Raphael Sampaio (trompete) com Bandas Marciais

 

3a Etapa - OURINHOS

 

Músico convidado: Esdras Rodrigues (violino) com OEXPO – Orquestra Experimental de Ourinhos

 

4ª Etapa – MARÍLIA

Músico convidado: Diego Garbin (trompete) com Orquestra de Câmara de Marília

5ª Etapa – CAMPINAS

Grupo de Cordas Breusil com Toninho Ferragutti e Neymar Dias

Grupo de Cordas Breusil - Pixinga o Arranjador

Big Band do IA  - Pixinguinha em Pauta

2ª Fase

Encontro de Bandas Marciais com Raphael Sampaio

Grupo de Cordas Breusil com Toninho Ferragutti e Neymar Dias

Cuesta Jazz Band com João Paulo Ramos BarbosaShow “Buraco no Tempo” – Big band do IA Unicamp e Grupo de Cordas Breusil com Toninho Ferragutti, Neymar Dias, Ricardo Herz, Roberto Sion e Esdras Rodrigues

Big Band do IA – Unicamp com Roberto Sion

Grupo de Cordas Breusil com Ricardo Herz

Show “Moacir Santos” - Jazz Combo e Grupo de Cordas Ourinhos com Martina Marana


JUSTIFICATIVA

O Festival Brasil Instrumental teve seu início no ano 2000, como Mostra MPB Instrumental comemorativa aos 10 anos de existência do curso de MPB e Jazz do Conservatório de Tatuí. A idéia era a confraternização entre professores e alunos que passaram por ele nestes anos. Porém no decorrer da estruturação veio à tona a realidade na qual a música instrumental brasileira estava imersa, uma existência à revelia dos espaços de shows e mídia! Dentro dessa realidade foram feitos 10 dias de festival com 30 shows e 50 workshops, dentre os participantes: Banda Mantiqueira, Banda Savana, Quebrando Galho, Nelson Ayres, Época de Ouro, Arrigo Barnabé, Orquestra Popular de Câmara, Monica Salmaso, Teco Cardoso, Vinicius Dorin, Fernado Correa, Bonsai, Cambanda Jazz Combo, Banda Curare, Lula Galvão, Benjamin Taubkin, Curupira, Itiberê Orquestra Família, Joice, Paulo Freire, André Mehmari, Toninho Ferragutti, entre outros, com uma verba insignificante de 30 mil reais!!! Em 2002 com o patrocínio da Petrobrás realizou-se a segunda edição com o nome de II Brasil Instrumental com a natural repetição dos nomes acima, indiscutível reconhecimento pela participação quase gratuita no 1º, somando-se aos nomes de Hermeto Pascoal, Cesar Camargo, Heraldo do Monte, Hamilton de Holanda, Brasília Brasil, Toninho Horta, Guinga, Paulo Sérgio Santos. Dez programas foram gravados pela TV Cultura, para o Jazz & Cia. A partir de 2003 criou-se a Banda Brasil Instrumental, grupo com formação flutuante com intuito de resgatar nosssos grandes arranjadores como: Moacir Santos (2003), gravado pela TV Cultura, Dori Caymmi(2004) com o próprio, Tom Jobim instrumental (2005), Radamés Gnattali (2006), Maestro Branco (2007) com o próprio e destaque do festival em 2008, Pixinguinha o arranjador, trabalhos inéditos de Pixinguinha para a rádio Tupi extraídos de gravações ao vivo. Também em 2003 foi incluído no festival a Mostra Brasil Instrumental, edital aberto a grupos de música instrumental. A opção de transformar o Festival em itinerante vem de encontro com a necessidade de ampliação dos espaços culturais e da miscigenação cultural em todo o país. Queremos buscar núcleos de proliferação musical onde a questão da música instrumental é tratada com freqüência, dentro de universidades ou através de centros ou pólos de confraternização, levando aos mesmos uma rica programação sempre integrada as manifestações locais e propiciando através de editais a participação efetiva de grupos da região. Junto com a utilização de espaços alternativos buscamos levar essa arte aos locais onde está o povo, para que ele tenha acesso a nossa cultura independente das questões de mídia. Também através de bailes, gafieiras, forros, desfiles, com nomes significativos da nossa história, como Severino Araújo e Orquestra Tabajara, Gafieira com Toninho Ferragutti, Spok Frevo, Trio Macaíba, Dominguinhos, etc., fazemos o trabalho de formação do público tão importe para a perpetuação da cultura brasileira. Perpetuar este festival dando-lhe a característica itinerante foi um grande ganho para a cultura nacional. E a participação de músicos estrangeiros que se apropriam da nossa cultura para confraternizar com ela e seus produtores em nosso território é um avanço para que valorizemos uma das produções nacionais de grande aceitação mundial. A nossa música é a voz da nossa cultura para o mundo e devemos fazer de tudo para que ela seja ouvida. E agora perpetuar com a digitalização desse acervo fantástico perdido em gavetas se deteriorando. Salvemos esta memoria, pois vale a pena lembrar e proferir:

“Um povo sem memória é um povo sem futuro!”